exposições

Tecendo o tempo – Exposição

13 de novembro de 2019

Maria Villares abre a exposição individual “tecendo o tempo” em 13 de novembro, quarta-feira, às 18h, no espaço expositivo da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM) da USP. A artista apresenta cerca de 40 obras em dimensões, suportes e técnicas variadas que compõem a série “Nexus” iniciada em 2001, embora hoje a palavra ganhe uma dimensão que compreende o modo como a artista produz e se relaciona com a própria obra e consequentemente com o tempo (embasamento de suas criações). Maria nomeou esta grande série de “Nexus” por significar no latim nó, trama ou envolvimento como rede, que remetem ao que está presente em seu trabalho.

São tramas tecidas em nylon e polipropileno, aquarelas, objetos, desenhos e colagens em técnica mista que utilizam materiais diversos como chumbo, aço, pvc, ráfia, papel de arroz e impressões de papel carbono sobre poliéster dispostos em agrupamentos homólogos às várias fases da vida da artista, que se intercambiam sem costuras e perpassam o passado no presente.

Maria trabalha com a estratégia comum para muitos artistas desde a década de 1960, de seriação ou do desenvolvimento de ideias ou temas titulados, portanto “Nexus” ao mesmo tempo que dá nome a série de 2001 a partir da observação da artista a teias de aranha molhadas de orvalho na contraluz da manhã, da localização do universal no particular, ou aos casulos tecidos com linhas de nylon, representa também a síntese das muitas séries passadas, e de incessantes buscas no ambiente da arte, lançando ao espaço literalmente a duração do tempo imaginado ou ainda a construção de metáforas sobre as suas memórias. “É a partir deste tempo que as matérias tecem os espaços, grandes ou pequenos, não importa, adequados ao processo de consecução artística”, completa Luiz Armando Bagolin.

A curadoria de Bagolin enfatiza o elo de ligação dos conjuntos e subconjuntos presentes na obra da artista e na dissolução da percepção do espaço condicionada ao tempo físico.

Ficha Técnica

Curadoria: Luiz Armando Bagolin e Fabricio Reiner
Gestão de acervo, produção e montagem: Andrea Angulo
Projeto de Iluminação: Fernanda Carvalho
Assistência de iluminação: Luana Alves
Catálogo Projeto Gráfico: Stella Villares
Fotografias: Milton Galvani
Revisão: Lilian Correa
Impressão: Pancrom

ABERTURA
13 de novembro, de 2019, quarta-feira, às 18h

VISITAÇÃO
A exposição fica aberta diariamente ao público de 14 de novembro a 31 de janeiro de 2020, de segunda a sexta, das 10h às 18h30 com entrada gratuita e aos sábados das 9h às 13h. Aberta para todas as idades.

LOCAL
Biblioteca Brasiliana Mindlin Rua da Biblioteca, s/n
Cidade Universitária – São Paulo (mapa)

Exposição Cenário Provisório – Palestra e apresentação de fotografias Arte Rupestre na Caatinga

09 de agosto de 2018 a 31 de março de 2019

EXPOSIÇÃO CENÁRIO PROVISÓRIO

Pinturas de Maria Villares
Curadoria de Ana Angélica Albano

PALESTRA E APRESENTAÇÃO ARTE RUPESTRE NA CAATINGA

Palestra de Dalton Sala
Fotografias de Tiago Sala
Apresentação de Maria Alice Milliet

LOCAL
Espaço Nexus

Paper Made

09 a 13 de agosto de 2017

Feira de arte PAPER MADE – MERCADO DE ARTE DESIGN

LOCAL
Pavilhão da Bienal, Ibirapuera, São Paulo

Tão perto, tão distante – Exposição na Casa Contemporânea

11 de fevereiro de 2017

GRAVURAS
KIKA LEVY
MARIA VILLARES
MARGOT DELGADO
MARISA FAVA C. ALVES
CRIS ROCHA

ABERTURA
11 de fevereiro, de 2017, das 11h às 18h

EXPOSIÇÃO
de 14 de fevereiro a 18 de março de 2017
de terça a sexta, das 14h às 19h e sábados das 11h às 17h

CASA CONTEMPORÂNEA
www.casacontemporânea.com.br